13 de agosto de 2015

Uma noite de Cinderela - Resenha de "Um Perfeito Cavalheiro", de Julia Quinn




Título: Um Perfeito Cavalheiro (An Offer from a Gentleman)
Autor: Julia Quinn
Tradução: Cássia Zanon
Editora: Arqueiro
295 páginas
Livro 3 da série Os Bridgertons


Olá pessoal!
Já faz um bom tempo que eu li este livro, porém só agora tive tempo para me dedicar à resenha dele.
Sou louca por essa série dos Bridgertons e com toda a certeza, este foi o livro que mais gostei até agora - apesar de ter um leve suspeita de que o próximo vai se tornar meu preferido rapidinho...

"- Esta noite eu estou transformada - sussurrou ela. - Amanhã eu desaparecerei.
Benedict a puxou para perto e deu um beijo breve e suave na sobrancelha dela.
- Então teremos que fazer uma vida inteira caber nesta noite."


Bom, quero começar falando do título, que eu acho que ficaria melhor se tivesse sido traduzido ao pé da letra - Uma Oferta de Um Cavalheiro. Obviamente é um título irônico, que brinca com a oferta que Benedict faz a Sophie, que é tudo, menos cavalheiresca.

"- O senhor deve me achar uma tola (...) por não saber dançar.
- Na verdade, eu a acho muito corajosa por admitir isso. (...). A maioria das mulheres que eu conheço teria fingido estar machucada ou desinteressada.
- Eu não tenho o talento necessário para fingir desinteresse."

Adorei este livro pela ideia de utilizar a história da Cinderela como pano de fundo - um baile, uma moça misteriosa que ninguém sabe de onde veio e que foge correndo sem mais nem menos, sem revelar sua identidade, deixando louco de amor o jovem mais cobiçado do local.
tendo sua história totalmente inspirada na Conderela, Sophie sofre todas as maldades possíveis vinda de sua madrasta horrível e das filhas dela. Ser cortejada por um belo cavalheiro de uma família tradicional da sociedade parece um sonho impossível, até que surge sua "fada madrinha" e a ajuda a comparecer ao Baile de Máscaras da Família Bridgerton. Lá, ela encontra Benedict, que claro, fica imediatamente encantado pela jovem misteriosa da qual ninguém conhece a identidade. Esta ovem vai embora repentinamente, levando com ela o coração do segundo Bridgerton.
Enquanto estou escrevendo fico encaixando as cenas do filme da Cinderela (este último que saiu nos cinemas), tudo fica tão lindo...

"Passara a vida seguindo o caminho mais seguro, mais prudente. 
Apenas em uma noite abandonara a precaução. 
E fora a noite mais emocionante, mágica e maravilhosa de toda a sua existência"


Enquanto ficam separados, a adrenalina da leitora voraz e apaixonada por Contos de Fadas como eu, só cresce, porque Sophie está lá, sofrendo e Benedict não consegue parar de pensar nela, sem sequer ter ideia de quem ela é, e a gente fica torcendo por esse reencontro, até que o destino coloca os dois frente a frente novamente. Sophie jamais poderia tê-lo esquecido. já Benedict...

"-Acho que preciso beijá-la - acrescentou Benedicit (...) - 
É como respirar. Não há muita escolha."


Não vou ficar dando muitos detalhes a partir daí, ou vou acabar estragando as melhores partes do livro. Resumindo: amei. Não tem o que falar. Julia Quinn acerta cada vez mais e eu espero sinceramente que o quarto livro continue me fazendo ansiar pelo próximo, amando cada vez mais as histórias desta família que com certeza vai ficar marcada na minha lista de romances de época prediletos.

"- Eu posso viver com você me odiando (...). Só não posso viver sem você."

Aliás, ansiedade é a palavra. Julia Quinn, mulher, como é que você me acaba um livro com a promessa implícita de revelar o maior segredo da sociedade londrina, que vem se arrastando desde o primeiro livro? Para você que não leu ainda, quando você chegar lá no último parágrafo deste livro, volte aqui e me conte se ela tem direito de fazer isso com a gente.
Não vou dizer mais nada. Apenas leiam. Vale mais do que a pena.
Vou ficando por aqui! 
Até a próxima!


"Você compreende qual é a sensação de ser desprezado? Quantas vezes acha que pode me rejeitar antes que eu pare de tentar?"









Nenhum comentário

Postar um comentário